Dramatização

É outra das técnicas utilizadas em nosso trabalho e que se provou muito útil quando a verbalização é necessária, e quando se requer uma linha argumentativa (verdadeira ou fictícia) para o desenvolvimento e elaboração adequados de um personagem. É usada separada, ou combinadamente, com alguns dos outros instrumentos analisados.

Utilizamos também o trabalho que denominamos de pares de opostos, ou seja, desenvolver a postura e a fala correspondentes à generosidade e, a seguir, ir para à mesquinhez; a bondade e a maldade; o brando e o rígido; o conservador e o inovador, etc. Também a conversa entre os diferentes personagens de uma pessoa e muitas outras técnicas que não detalharei, uma vez que as técnicas dramáticas são bastante conhecidas no  nosso meio. Mencionarei, somente, a técnica “quem sou eu”, porque considero que ajuda a alcançar zonas mais profundas. Deve ser aplicada em um estado de profundo relaxamento do indivíduo, do grupo que o rodeia e do coordenador, do qual é requerido conhecer a experiência por ter passado por ela, para poder acompanhar a viagem interior que acontece e ajudar, se necessário, na exteriorização que a própria pessoa não consiga realizar.